Ambiente

Já se pode passear por cima das dunas do Guincho

Passadiço na duna da praia da Cresmina Pedro Cunha

Andar a pé pelas dunas da Cresmina já é possível sem provocar danos ambientais. Três percursos em passadiços ligam a estrada da Areia à praia do Guincho, numa extensão total de cerca de 2,2 quilómetros. No próximo mês será inaugurado o núcleo de interpretação, que permitirá dar a conhecer aos visitantes os principais locais de interesse no Parque Natural de Sintra-Cascais.

Os passadiços em madeira repartem-se por três caminhos: do núcleo interpretativo, à beira da estrada da Areia, até à estrada em frente à Fortaleza do Guincho; do cruzamento para a Areia até à praia do Guincho, e por um trajecto deambulatório à duna da Cresmina, perto do parque de campismo. O pequeno edifício em madeira do núcleo de interpretação ainda está por abrir, mas os passadiços já são utilizados por visitantes e moradores, que chegam a pé, de bicicleta ou de carro. A carreira urbana 405, que liga a Areia ao centro de Cascais (junto à estação da CP), também possui paragens nos extremos do percurso de 900 metros que liga o centro à estalagem do Muchaxo.

O parque de estacionamento com 30 lugares, na zona de uma antiga construção de apoio, ainda está vedado a viaturas. O interior do edifício está decorado com painéis sobre as dinâmicas naturais do sistema dunar e os locais a visitar no Parque Natural: Quinta do Pisão, Pedra Amarela (Cascais), Cabo da Roca, Peninha, Convento dos Capuchos, Monserrate, Castelo dos Mouros, Palácio da Pena (Sintra). No terraço com vista para o mar e para a serra cinco mesas em madeira permitem descansar entre caminhadas.

O projecto arrancou em 2010 com a instalação de paliçadas na praia do Guincho e na duna da Cresmina. Segundo Miguel Pinto Luz, administrador da agência municipal Cascais Natura, "o balanço é muito positivo", uma vez que a monitorização conclui que "o cordão primário está a ser recuperado, com uma deposição evidente de areia na primeira linha que atinge já uma altura média de mais de 1,8 metros, evidenciando a formação da duna embrionária". Posteriormente, numa área com cerca de seis hectares, foram removidas espécies exóticas e invasoras, como o chorão e a acácia, e plantados arbustos e árvores, como o estorno ou pinheiros, com vista à consolidação do sistema dunar do corredor eólico Cresmina-Oitavos.

O investimento, com apoio comunitário e do Turismo, acrescenta o também vice-presidente da autarquia de Cascais, "é de sensivelmente 600 mil euros", incluindo "plantações, regeneradores dunares, passadiços, combate a plantas invasoras e construção do núcleo e do parque de estacionamento". Miguel Pinto Luz salienta que o núcleo de interpretação, a inaugurar em Abril, terá ao dispor do visitante "uma aplicação multimédia e um miradouro virtual para perscrutar o horizonte e a paisagem em redor". Um guia digital possibilitará descodificar os diversos aspectos do sistema dunar, enquanto o aluguer de bicicletas e de segways facilitará a "exploração" da área protegida.

Depósitos ilegais junto ao Abano

As terras depositadas junto ao forte do Guincho, e da praia do Abano, "são apenas inertes, não contendo materiais perigosos", esclareceu o Serviço de Protecção da Natureza e Ambiente (Sepna) da GNR.

O director do Sepna, Jorge Oliveira, questionado pelo PÚBLICO acerca dos depósitos nas zonas rochosas, adiantou que o proprietário alegou desconhecer quem fez as descargas, que não autorizou, e que "colocou algumas pedras a delimitar o terreno de forma a evitar a entrada de viaturas naquele local".

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.