Investigação realizada na Universidade de Milão

Hormona do sono detectada no vinho tinto

A casta Cabernet Sauvignon foi uma daquelas onde foi detectada melatonina

Uma equipa de cientistas de Universidade de Milão afirma ter descoberto que as uvas utilizadas no fabrico de alguns dos mais populares vinhos tintos contêm altos níveis de melatonina, uma hormona naturalmente produzida pelo nosso organismo ao fim do dia e que induz o sono.

Marcello Iriti e os seus colegas, que publicam os seus resultados na revista "Journal of the Science of Food and Agriculture", detectaram a presença da hormona do sono na pele das uvas das castas Nebbiolo, Merlot, Cabernet-Sauvignon, Sangiovese e Croatina.

“O teor de melatonina no vinho poderá ajudar a regular os padrões de sono-vigília, tal como acontece com a própria melatonina produzida pela glândula pineal nos mamíferos”, afirma Iriti num comunicado.

Não é a primeira vez que o vinho tinto – e as uvas que lhe dão origem – são apontados como benéficos para a saúde. Estudos anteriores já tinham indicado que o consumo moderado de vinho tinto poderia diminuir a taxa de “mau colesterol” no organismo e até ajudar a prevenir a doença de Alzheimer.

O mesmo documento cita também um especialista mais céptico – Richard Wurtman, do MIT – que acha que serão precisos mais estudos para confirmar que a substância agora detectada é mesmo melatonina.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues