Tudo começava numa pequena loja lisboeta de câmbios onde acorria gente influente. Dinheiro passou pela Suíça e Cabo Verde e regressava insuspeito. Muitos clientes da rede aproveitaram regime especial e declararam 3,4 mil quantias ao Estado.

  • Tudo começava numa pequena loja lisboeta de câmbios onde acorria gente influente. Dinheiro passou pela Suíça e Cabo Verde e regressava insuspeito. Muitos clientes da rede aproveitaram regime especial e declararam 3,4 mil quantias ao Estado.

  • O supervisor, manifestamente atento e corajoso quando a coragem foi mais necessária, tem de forçar a substituição da governação do banco.

  • O líder do PS, António José Seguro, responsabilizou nesta sexta-feira o seu rival nas primárias pela descida do partido nas sondagens, lembrando que "até à crise criada por António Costa, o PS esteve sempre a subir".

  • O ministro da Economia resumiu a “reforma fiscal”: “ Os portugueses não merecem novo aumento de impostos”. O ministro, em poucas palavras, disse muito, sem nada querer dizer: a carga fiscal sobre o cidadão é verdadeiramente insuportável. Nega todo o sentido constitucional e ético dos impostos: as necessidades financeiras do Estado, a justa repartição dos rendimentos e da riqueza. Fê-lo com ar asséptico de gestor de sucesso e de político sábio. De génio!