• Esperam-se até 50 mil manifestantes em Colónia. Há polícias feridos. Moção de Frauke Petry, líder do AfD, para fazer alianças e tentar governar, foi derrotada.

  • O guarda-redes alemão lesionou-se durante os quartos-de-final da Liga dos Campeões, frente ao Real Madrid.

  • A reacção nacional ao comentário de Dijsselbloem é compreensível. Mas surpreende o silêncio de Portugal em torno de outras propostas do holandês.

  • O Governo está a preparar um diploma para estimular a igualdade salarial entre homens e mulheres. A penalização poderá passar pelo não acesso a contratos com o Estado.

  • Num relatório, os investigadores do atentado de terça-feira contra o autocarro do Borussia Dortmund manifestam dúvidas quanto à autoria jihadista do atentado. Neste momento, inclinam-se para a hipótese de ter sido obra da extrema-direita.

  • A violação terá acontecido em 2009 e o acordo para que a mulher mantivesse o silêncio assinado em 2010, segundo documentos citados pela revista alemã Der Spiegel. A notícia foi desmentida pela Gestifute, que considera a acusação "nojenta".

  • Autoridades alemãs admitem que não existem ainda provas do seu envolvimento no atentado de Dortmund, mas emitiram um mandado de detenção.