• “Betinho, totó, atrasado mental”. Dois amigos vêem, no primeiro dia de aulas, um rapaz a chamar nomes a outro. “O que é fazemos?”, pergunta a rapariga, ele responde “vamos embora daqui”, ela decide agir e diz-lhe “pára com isso” e o agressor deixa de chamar nomes ao menino e vai-se embora. “Nível 1 completo”. O jogo Stopbully foi concebido para ser jogado por crianças dos 10 aos 12 anos, tendo como objectivo aumentar a empatia com as vítimas, tentando mudar o comportamento dos que observam e nada fazem, explica Susana Carvalhosa, professora do Departamento de Psicologia Social e das Organizações, do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), em Lisboa.

  • Agência de supervisão da comunicação russa quer que as empresas censurem “conteúdos extremistas” e colaborem com a Rússia no controlo do “tráfego online”.

  • Dois dias depois da denúncia, pesquisa por palavras racistas continua a dar como resultado a residência oficial do Presidente Barack Obama.

  • Serviço de música online quer encontrar os conteúdos de vídeo e música que se adaptem a cada momento do dia do utilizador.

  • O cyberbullying é um desafio muito mais assustador do que o bullying propriamente dito: a amplificação da humilhação atinge o agredido de um modo muito mais profundo do que as agressões físicas.

  • Como seria de esperar há Gangnam Style, de Psy, entre os mais vistos de música. Mas foram três vídeos infantis os mais procurados no geral.