A dimensão da crise humanitária provocada pela vaga de refugiados que assola a Europa leva Portugal a rever, em altas sucessivas, o número de refugiados que vai receber. A quota de 1400 pessoas atribuída pela União Europeia vai subir, numa primeira fase, para 1500. Admitem-se, contudo, novas revisões embora sem precisar um número.

Resultados dos concursos de mobilidade interna e de contratação inicial foram conhecidos nesta sexta-feira. Por agora, há 1.100 professores com horário-zero e mais de 20 mil contratados ficaram sem colocação.